MENU

terça-feira, 22 de agosto de 2017

ATUALIDADES: COMISSÕES DE JUSTIÇA E PAZ - CHAMADA PARA O GRITO DOS EXCLUÍDOS


MENSAGEM DA COMISSÃO BRASILEIRA DE JUSTIÇA E PAZ 
E DA COMISSÃO DE JUSTIÇA E PAZ DA ARQUIDIOCESE DE OLINDA E RECIFE



A esperança tem duas filhas lindas: a indignação e a coragem.
A indignação nos ensina a não aceitar as coisas como elas estão;
a coragem, nos ensina a mudá-las” (Santo Agostinho)


A Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Olinda e Recife, que integra a Rede Brasileira Justiça e Paz, reunida em 14 de agosto de 2017 resolveu subscrever a mensagem saída da reunião de 11 e 12 de agosto de 2017  da Comissão Brasileira Justiça e Paz, organismo vinculado à CNBB, sobre os últimos acontecimentos que afetam a vida nacional e de apoio ao “GRITO DOS EXCLUÍDOS”
 
MENSAGEM


“Irmãs e irmãos, as ocorrências dos últimos dias têm motivado valiosos pronunciamentos da vida religiosa consagrada e diversas expressões de nossa estrutura eclesial, desde a lição do Santo Padre a pronunciamentos da CNBB.

Permitimo-nos indicá-los:

a) a mensagem do Santo Padre aos jovens na comemoração de Aparecida;
b) a nota publicada pela II Assembleia da Província Jesuíta do Brasil, em 28 de Julho de 2017;
c) a proclamação das Pastorais Sociais da CNBB, datada de 1º de Agosto de 2017;
d) a entrevista concedida por D. Luiz Demétrio Valentini, em 2 de Agosto de 2017, ao portal da CNBB;
e) a Mensagem da Conferência Franciscana do Brasil: indignação e esperança, publicada em 06 de agosto de 2017. 

Cumpre chamar atenção da entrevista do Prof. Juarez Guimarães ao Portal Sul 21, também compartilhada e divulgada por nós. O Prof. Guimarães compartilhou conosco suas reflexões na abertura da Sessão da CBJP.

Todas essas mensagens foram enviadas e amplamente divulgadas entre os membros de nossa rede.

Fecundos e oportunos são os ensinamentos que se podem colher de tais documentos para nossas ações em prol do bem comum. A linha que perpassa essas manifestações é a preocupação com as ofensas a valores democráticos que devem estar presentes no alicerce da sociedade pátria. Ali se condenam as ofensas a Justiça, a Ética, a Probidade, a Verdade, a Segurança, a Credibilidade, a Coerência e a outros princípios que deveriam nortear as autoridades públicas brasileiras e as instituições da República.

Neles se critica duramente a supressão de direitos e garantias do povo, especialmente os segmentos mais carentes, ingentemente conquistados. A revogação ou minimização destes benefícios é realizada de forma inaceitável, sob falsos argumentos que invertem os cânones das prioridades sociais e humanas. Trabalhadores perdem seus direitos previstos na CLT, estudantes veem a educação deixar de ser um dever do Estado, quilombolas e indígenas ameaçados de perderem os direitos sobre suas terras originais que se tornam objeto de especulação, contribuintes da previdência social são ameaçados com a redução drástica de seus benefícios, os serviços públicos de saúde definham à míngua de verbas orçamentárias,  as finanças públicas mais atendem aos interesses do mercado rentista do que às finalidades do bem comum, as garantias jurídicas do devido processo legal são aplicadas desigualmente ou simplesmente postas de lado, as regras políticas eleitorais são ameaçadas de criarem  pleitos ainda mais antidemocráticos e viciados pelo poder econômico.

Em tempos assim difíceis, aos cristãos, não se espera a indiferença ou o alheamento. É dever nosso, como a cada momento lembra o Santo Padre, o de participar efetiva e engajadamente na luta inadiável pelo bem comum, em todos os níveis.

Nesse espírito de indignação e esperança, convidamos a todos e especialmente as comissões justiça e paz de nossa rede a se engajar nos preparativos do Grito dos Excluídos (as) previsto para 07 de setembro de 2017, pois em nosso entendimento, este poderá cumprir importante e decisivo papel de articulação e mobilização da esperança.

Os documentos cuja reflexão aqui se aponta, constituem uma orientação segura neste árduo caminho, uma luz a nos guiar”.

 
Concentração: praça do Derby, 09h da mahã

Comissão Brasileira Justiça e Paz, organismo Vinculado a CNBB


Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Olinda e Recife

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

ATUALIDADES - PROJETO COLMEIA COMUNIDADE-SESC E A CASA DE FREI FRANCISCO


A Casa de Frei Francisco, braço social do IDHeC – Instituto Dom Helder Camara-localizada nos Coelhos, recebeu hoje, 18 de agosto, uma ação de saúde e cidadania, realizada pelo Projeto Colmeia Comunidade, do Sesc.

Iniciado às 08h da manhã e estendendo-se até às 16h, a expectativa era de oferecer em torno de cinco mil atendimentos na comunidade tais como aferição de pressão, teste rápido de colesterol, vacinação, corte de cabelo, orientações jurídicas, emissão da Carteira de Identidade e ainda exames de pele para o diagnóstico da hanseníase, orientação sobre tuberculose, teste de escarro, vacinação contra a Influenza e teste rápido de HIV e distribuição de preservativos masculinos e femininos.


Na área de saúde bucal houve, além de uma palestra para ensinar a forma correta de escovação dentária, aplicação de flúor. O Distrito Sanitário I emitiu o Cartão SUS e informou sobre arviroses e controle da raiva animal.
O Sesc fez avaliação física funcional, orientações sobre a importância da prática esportiva e recomendações nutricionais. O Naphe realizou teste de Hepatite B e C e a Secretaria Estadual de Saúde levou a Operação Lei Seca para orientar a população dos riscos da mistura do álcool e direção, além da importância do uso do equipamento de segurança. O Hemope orientou sobre o processo de doação de sangue.


A Secretaria de Defesa Social emitiu de 50 Carteiras de Identidade, a partir da segunda via. Orientações e informações sobre o CAD Único e o Programa Bolsa Família foram repassadas pela Secretaria de Assistência Social. O INSS estava presente tirando dúvidas sobre os direitos previdenciários e assistencial, fazendo a simulação de contagem de tempo e agendamento dos benefícios. As orientações o campo jurídico ficaram por conta da faculdade Estácio. O Senac realizou corte de cabelo feminino e masculino e a Racco ficou com a higienização da pele.

 Os moradores da comunidade puderam ainda aproveitar a ação para tirar o histórico de nada consta de multas, informações e pontuação na CNH, emissão de taxas, consulta de débitos e atualização de endereço com o Detran. A Celpe fez o cadastro de baixa renda, ligação nova, parcelamento, troca de titularidade e solicitação de 2° via e a Compesa fez atendimento comercial.


O Banco de Alimentos do Sesc movimentou a oficina de aproveitamento integral dos alimentos e o Cebrac orientação sobre a sustentabilidade social e arrecadação de latas de alumínio.

O Projeto Colmeia Comunidade começou a ser realizado em setembro de 2016 e já passou pelas comunidades do Alto José do Pinho, Ibura, Santo Amaro, Macaxeira, Bomba do Hemetério, Curado IV, Coque e pelas cidades de Gravata, Paudalho e São Lourenço da Mata.


Em 2017, a iniciativa chegará ao Ipsep, Prado, Santo Amaro e Jardim São Paulo, no Recife. A iniciativa conta com a parceria da Tv Globo, do Senac, Hemope, Naphe, Secretaria Estadual de Saúde, INSS, Detran, Secretaria de Saúde e de Assistência Social, Compesa, Tribunal de Justiça de Pen, CEBRAC, SDS e a Faculdade Estácio FIR.



Parabéns ao Sesc e a todos os seus parceiros por essa iniciativa de promoção da qualidade de vida e da população de nosso Estado. Que esse Projeto cresça e se espalhe atingindo cada vez um maior número de comunidades e cidades pernambucanas.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

A VOCAÇÃO QUE VEIO DENTRO DO PEITO


Algumas pessoas nascem com a vocação para ser engenheira, arquiteta ou pedreiro e constroem os melhores prédios e casas. Outras nascem para ser advogadas, jornalistas, médicas, músicas. Têm umas pessoas que já nascem sabendo preparar os pratos mais gostosos ou costurar as mais belas roupas.

E, há aquelas pessoas que nascem para ser a voz dos que não têm voz, para lutar pela libertação dos oprimidos, para combater a exclusão em todas as suas formas, para denunciar o que está errado e anunciar o que de bom precisa ser feito.  Essas pessoas são chamadas de profetas e dedicam a sua vida à promoção de uma vida digna para todos.


Dom Helder Camara era o profeta do século XX que viajou pelo mundo denunciando as arbitrariedades da ditadura militar no Brasil. Falava das mortes, dos desaparecimentos, da tortura aos que se opunham ao regime, clamando por justiça.

Denunciava ainda a fome e a miséria que matava e ainda mata Brasil afora, sonhando com um ano 2000 sem miséria. Voltou para a casa do Pai um ano antes, em 1999, sem sequer ter a alegria de ver seu sonhos está perto de ser realizado. E, 17 anos depois,  seu tão sonhado prazo para o fim da miséria parece estar ainda muito longe.


Mas, o sonho de criança, ele conseguiu realizar: ser padre. Hoje, 15 de agosto, celebramos os 86 anos da ordenação de um jovem que, aos 22 anos, precisou de uma licença especial do Vaticano para ser ordenado, devido a sua pouca idade. Nascia, naquele dia, um verdadeiro pastor, que soube cuidar de suas ovelhas com amor, carinho e dedicação.


Hoje é, portanto, dia de agradecer a Deus pela graça que nos foi dada deter esse pastor conduzindo a nossa Arquidiocese por 21 anos e por ter permanecido aqui, conosco por 35 anos.

Que o seu exemplo de vida e sacerdócio seja sempre inspiração para todos aqueles que escolheram dedicar a sua vida ao irmão.


quarta-feira, 9 de agosto de 2017

ATUALIDADES - A HOLANDA PERTINHO DE DOM HELDER

Katinka Coenen e o Pe. Leonardo Mouës, membros da diretoria dos lazaristas na Holanda vieram, recentemente, ao Brasil, para participar das comemorações do aniversário de 90 anos do início oficial da atuação dos padres lazaristas holandeses no nordeste e dos 50 anos da fundação da província de Fortaleza da Congregação da Missão.

Mas não queriam retornar à Holanda sem antes conhecer o “chão” de Dom Helder, ex-aluno dos lazaristas e, desde 1987, agregado à Congregação de São Vicente. Por isso estiveram também visitando o Recife, onde em anos passados, vários lazaristas holandeses viveram e trabalharam, como o nosso querido Padre João Pubben, hoje morando em sua Holanda natal.

Em sua visita ao Recife foram acompanhados pelo casal Claudete e Geraldo Frencken, fundador do grupo Dom Helder do Ceará, residente em Fortaleza. Geraldo, também holandês, da cidade de Helden, foi o intérprete deles durante a visita. E foram ciceroneados por Irmã Vanda, que os acompanhou durante todas as visitas.






A apresentação ao “chão” do Dom começou pela Casa de Frei Francisco, na quinta-feira 03 de agosto, onde foram recebidos por sua coordenadora Giselle Carvalho e pelos adolescentes com muita festa e alegria.




A visita teve também uma parada para conhecer o “chão” de Pe. João, Dois Unidos, onde também foram recebidos com muita emoção pela comunidade que teve a alegria de conviver com Pe. João, Ir. Priscila Bezerra(1968 a 1998) e, a partir da doença de Ir. Priscila, contou também com a colaboração de Irmã Vanda.



Na sexta-feira, 04, foi a vez de conhecer o outro pedaço do IDHeC: o CEDOHC e o Memorial Dom Helder Camara, onde, guiados pela historiadora do IDHeC, Lucy Pina, puderam aprender um pouco mais sobre a vida de Dom Helder, sua trajetória histórica e a casinha onde viveu até sua partida, em 27 de agosto de 1999.





A visita foi encerrada na celebração eucarística dos domingos na igreja das Fronteiras, que contou com a concelebração de Pe. Leonardo, ao lado de Pe. José Augusto.



Para contar a história dos lazaristas no nordeste Geraldo Frencken escreveu o livro “Em missão: os padres da Congregação da Missão (lazaristas) no nordeste e norte do Brasil”, que fala desde meados do século XIX. O livro fala sobre a influência destes padres nas áreas urbanas e rurais do Norte e Nordeste; na formação de futuros padres nestas duas regiões do Brasil e na promoção humana em diversos setores da vida do povo.

As pesquisas realizadas pelo autor se baseiam em vasta documentação, teses universitárias e depoimentos pessoais, orais e escritos, que mostram, para os leitores, o quanto os padres lazaristas influenciaram a cultura brasileira no século XIX.

Com certeza Katinka Coenen e o Pe. Leonardo Mouës terão muitas histórias para conversar ao voltar para a Holanda, levando para Pe. João Pubben um pouquinho desse Recife que, agradecido por sua passagem por aqui, segue sentindo saudade.

GALERIA DE FOTOS

As fotos postadas aqui foram uma colaboração de Ir. Vanda, Gersino, Comunidade de Dois Unidos. 

CASA DE FREI FRANCISCO


DOIS UNIDOS

MEMORIAL DOM HELDER CAMARA

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA